Biblioteca

Conceituando Educação para o Desenvolvimento Sustentável

> Conceituando EDS
  > Michael Scoullos
  >
  > Embora o conceito de educação para o desenvolvimento sustentável (EDS)
  tenha
  > sido apresentado na Conferência Rio'92, a aceitação e o uso do termo
  > atingiram amplitude em 2002, após a Conferência Mundial sobre Meio
  Ambiente
  > e Desenvolvimento, em Johannesburgo.
  >
  > Essa conferência criou uma oportunidade única para ajustar posições e
  > promover nossas idéias sobre educação ambiental e a educação para o
  ambiente
  > e sustentabilidade, depois da Conferência Internacional Ambiente e
  > Sociedade: Educação e Consciência Pública para a Sustentabilidade,
  realizada
  > em Thessaloniki, em 1997.
  >
  > Vou explicar aqui, de maneira visual, como chegamos ao conceito da
  educação
  > para o desenvolvimento sustentável e seus objetivos.
  >
  > :: Da educação ambiental à EDS
  >
  > A conceituação iniciou-se na Conferência sobre Desenvolvimento Humano,
  > realizada pelas Nações Unidas em Estocolmo, em 1972, e, durante todo o
  > processo de estabelecimento das bases da educação ambiental, muitos dos
  > pontos críticos de hoje já eram reconhecidos como "causas profundas" dos
  > problemas ambientais. Entretanto, o contexto político era diferente, e
  nosso
  > entendimento dos temas ambientais e de suas conexões sociais, culturais,
  > éticas e econômicas era muito menos desenvolvido que agora.
  >
  > Com o tempo, reconheceu-se como necessário um tipo de educação que
pudesse
  > contribuir de forma substancial para o desenvolvimento sustentável. O
  > reconhecido modelo de desenvolvimento sustentável baseia-se em três
  pilares:
  > ambiente- ecologia, economia e sociedade.
  >
  > Será então a educação ambiental algo que nos leve ao desenvolvimento
  > sustentável?
  >
  > Um ponto de vista sugere que a educação ambiental serve apenas como um
  pilar
  > do ambiente e que, portanto, seria necessário considerar componentes
  > educacionais similares para os outros dois pilares, a economia e a
  > sociedade. Outro ponto de vista defende que, desde o seu início, a
  educação
  > ambiental incluía os aspectos econômicos e sociais, reconhecendo as
  > complexas relações entre o desenvolvimento sócio- econômico e a melhoria
  do
  > ambiente.
  >
  > A partir da Conferência de Thessaloniki, quando os três pilares
  continuavam
  > independentes e separados, reconheceu-se que a educação ambiental
continha
  > muito mais elementos sócio-econômicos. E então foi renomeada "educação
  para
  > o ambiente e a sustentabilidade" (na sigla em inglês, EfES, Education
for
  > Environment and Sustainability).
  >
  > Entretanto, a figura 1 ainda não continha a interdependência e as
  > inter-relações entre os três pilares do desenvolvimento sustentável. Por
  > isso foi proposta uma representação em forma de pirâmide (figura 2).
  >
  > É obvio que, com a educação apenas, não somos capazes de transformar em
  > desenvolvimento sustentável os atuais padrões de desenvolvimento. Em
  > Thessaloniki, em 1997, tentamos resolver essa questão propondo a
educação
  > como um dos componentes da governança global necessários para
proporcionar
  > sustentabilidade - instituições, tecnologia e educação apropriadas.
  > Posteriormente chegamos ao modelo de dupla pirâmide para o
desenvolvimento
  > sustentável (figura 3).
  >
  >
  >  A parte superior representa os três componentes inter-relacionados do
  > desenvolvimento sustentável (economia, ambiente e sociedade), enquanto a
  > parte inferior representa os pré-requisitos e ferramentas para a sua
  > implementação (instituições, educação e tecnologia).
  > O Marco de Referência da Unesco para o esboço do Programa de Aplicação
  > Internacional da DEDS enfatiza de forma correta a importância da
cultura,
  > proposta como o quarto pilar do desenvolvimento sustentável, embora não
  seja
  > idéia aceita universalmente.
  >
  > A posição das faces da pirâmide é aleatória e, portanto, todas as
  > interligações são possíveis, reais e importantes. Esse sistema deve
  realçar
  > nosso conhecimento, habilidade e aptidões para, entendendo-os, agirmos
de
  > acordo com tais traços, para o benefício não somente da nossa geração,
mas
  > também das gerações futuras.
  >
  > A educação para o desenvolvimento sustentável é um conceito dinâmico que
  > será construído com as iniciativas existentes e que apoiará de forma
  > equilibrada o ambiente, a economia produtiva e a sociedade saudável. A
  DEDS
  > oferece uma boa oportunidade para esforços conjuntos e sérios.
  >
  > Michael J.Scoullos é professor na Universidade de Atenas e diretor do
  > Laboratório de Química Ambiental.Também é presidente do Escritório
  > Mediterrâneo de Informação para o Ambiente, Cultura e Desenvolvimento
  > Sustentável (Mio- Ecsde). Em 1997, presidiu a Conferência Internacional
  > sobre o Ambiente e Sociedade em Thessaloniki, na Grécia.
  > Este endereço de email está sendo protegido de spambots. Você precisa do JavaScript ativado para vê-lo.